Expedição Amazônia – Dia 1

“Amazônia” um destino pra quem gosta de aventura, de viver ao extremo, pra quem quer ter um contato único com a natureza isolado na maior floresta do mundo. Um destino imperdível que já estava em meus planos a muito tempo, quando via os programas do “Richard Rasmussen”, ou o “Largados e Pelados do Discovery Channel” imaginava estar nesse lugar indescritível, e ainda pouco explorado… Mas lá fui eu, me aventurar nas terras alagadas do maior estado brasileiro e aqui começo contar essa história para vocês;

A viagem originalmente seria feita em dezembro, mas adiantei a passagem por motivos pessoais e embarquei rumo à Manaus, cidade base de onde partem todos os Tours para explorar a selva. Fechei os passeios previamente com a Iguana Turismo e recomendo a agência. Pessoal muito bem capacitado e saiu tudo como o combinado.

Saí de Curitiba com 6º graus e cheguei à Manaus com 33º graus é mole? Mas além do calor da capital, senti também o calor do povo manauara que é muito receptivo! Fiquei hospedado no Local Hostel Manaus a uma quadra do Teatro Amazonas, um dos principais pontos turísticos da cidade e aproveitei o tempo para conhecer as redondezas e já provar a comida típica da região. Próximo ao Teatro existem dezenas de opções de restaurantes para todos os gostos e bolsos, escolhi a Tacacaria Amazônia e comi o Tacacá de Pirarucu e suco de cupuaçu para acompanhar. Em geral a comida amazônica é uma delícia com diversas opções de peixes, mas fica a dica,não deixe de provar o Tacacá 😉 .ice_2018-06-05-15-56-37-454

No dia seguinte sai cedinho rumo à selva. Não sei se por sorte ou azar (depende do ponto de vista) no dia em que fechei o passeio, nenhum outro turista fechou, ou seja, ganhei um tour VIP pagando o preço normal hehe, claro que conheci bastante pessoas no hotel de selva, a maioria gringos porém os passeios foram feitos em sua maioria somente eu e um guia, somente no retorno que tive mais turistas me acompanhando. Mas borá lá… Para chegar ao hotel de selva, atravessei o rio Amazonas de barco, rodei mais 70 km de combe em meio as estradas de barro, e ainda peguei mais um lancha por volta de 40 minutos andando em meio aos igarapés e igapós que se formaram devido ao alto nível dos rios. Eu estava realmente isolado de tudo, sem sinal de telefone, sem sinal de WI-FI apenas curtindo o momento e tudo que a selva tinha para oferecer e não foi pouco 😀 .

Durante dois dias minha casa foi a Pousada Juma Lake, com direito a cabana exclusiva e restaurante flutuante. Na verdade a maioria das casas da região são flutuantes para que na época das cheias subam juntamente com o nível da água não afetando a vida da comunidade ribeirinha.

Nesse primeiro dia, já pude observar a vida selvagem na floresta com diversos macacos, aves e inclusive botos que passavam saltando em frente o restaurante da pousada. À tarde fomos então fazer um passeio de barco pelos igapós e observar mais da vida selvagem. Para quem não sabe existem duas temporadas na Amazônia, a de chuva e a de vazante. Eu fui na temporada de chuvas e os rios estavam quase atingindo sua altura máxima. Com a alta dos rios formam igarapés que são rios secundários que não existem na temporada de vazante, e os igapós são partes das florestas na maioria das vezes navegáveis, porém com uma enorme quantidade de árvores o que dificulta a passagem de barcos grandes. Confiram nos vídeos abaixo:

O ponto alto desse passeio foi encontrar um bicho-preguiça e poder chegar muito perto dele, o problema é que ele não gostou muito de invadirmos o espaço dele e me deu um tapa e arranhou nosso guia que tentava pegá-lo kkkk Foi o bicho-preguiça mais rápido que vi em minha vida, sorte que tive o prazer de filmar toda essa epopeia, confira:

Após esses momentos de intensa emoção o animal se acalmou e pudemos tirar fotos e fazer vídeos a vontade. Uma coisa interessante é que a preguiça parece ser um animal muito calmo, até mesmo nosso guia se surpreendeu com a reação do animal, porém vale lembrar que qualquer animal selvagem pode agir de forma imprevisível e atacar, então é sempre bom ter cuidado.

Ela fez até pose pra foto:

No retorno até a pousada ainda vimos muitos macacos pulando nas árvores e fomos presenteados com um pôr do sol maravilhoso.

ice_2018-06-06-17-47-45-553
Pôr do Sol Rio Juma Amazonas

Chegando a minha cabana tomei um banho e fui para mais uma aventura da viagem, fazer a focagem do jacaré. Vale sempre lembrar que nenhum dos animais sofre qualquer dano durante esses passeios, os guias são extremamente bem preparados e tem amplo conhecimento, os animais são retirados e rapidamente devolvidos a natureza. Estava totalmente escuro e de repente o guia põe as mãos na água e sai com o jacaré, tudo muito rápido.

Ele dá algumas breves explicações sobre o animal, e temos a oportunidade de tocá-lo ou até mesmo pegá-lo para os mais corajosos vale muito a experiência.

Após essa experiência, retornamos até a pousada onde jantei e logo fui dormir. E dormir na cabana coberta de palha em meio a selva foi muito legal, se ouvia de longe os gritos dos bugius, de aves sem dúvida algo incrível. O dia seguinte reservava ainda mais aventuras, mas isso conto no próximo post…

Siga no Instagram @iaventureiros

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s