Expedição Amazônia – Dia 2

Após um primeiro dia cheio de aventura, o meu segundo dia na selva Amazônica reservava muitas surpresas!!

O plano era acordar as 5 horas da manhã e ver o nascer do sol no rio, porém estava chovendo muito e o cronograma teve essa alteração. Eu estava dormindo na cabana coberta de palha e pensando como não molha aqui dentro hein? Haha menos mal. Após o amanhecer o tempo ficou bom e peguei uma lancha e fomos até a casa do senhor Almir, morador ribeirinho que vive na região praticamente a vida toda e seria meu guia para uma expedição de sobrevivência na floresta. Agora a coisa ficou séria hahaha.

Nesse post serão mais vídeos do que fotos até porque os vídeos são explicativos em sua maioria. A caminhada dentro da floresta fechada durou cerca de 3 horas, e confesso que se algo acontecesse com o guia eu estaria morto!! Estávamos somente os dois e eu estava totalmente desorientado, a selva confunde muito seu senso de localização, até por isso é muito comum pessoas se perderem e em alguns casos nunca mais serem encontradas na selva amazônica!

Durante a trilha pela floresta, o guia nos mostra várias plantas medicinais, como fazer abrigos temporários, mostra quais árvores são inflamáveis para que possa fazer um fogueira, árvores frutíferas, árvores que são usadas nas fragrâncias de perfumes famosos, ensina também a seguir trilha de animais para caça, ou seja, realmente é um Tour de sobrevivência. Eu mesmo amei a experiência, porque como falei anteriormente sou fã dos programas de sobrevivência do Discovery Channel e eu estava ali sentindo na pele, mesmo que não fosse na mesma intensidade dos participantes reais desses programas 😀 .

Árvore Chichuá para fazer fogo na floresta:

Árvore de Açaí:

Aprendi muito sobre alguns insetos da Amazônia, inclusive alguns comestíveis, que muitos nativos da região apreciam. Abaixo as formigas Tapiba, que NÃO são comestíveis, porém causam uma sensação estranha ao passar pelo pele, incrível mesmo é que elas não mordem :D.

A casa das cigarras:

Com toda certeza, uma das partes mais esperadas dessa trilha era encontrar a larva da castanha e prová-la kkkk, eu estava meio desanimado porque abrimos muitas castanhas e não estávamos encontrando o bichinho, mas insistimos até encontrar. Olha, já comi muitas coisas estranhas nas minhas viagens, mas essa acho que ganhou o prêmio de mais estranha até aqui kkkk Pessoal que tem “nojinho”, não assista o vídeo abaixo 😀 :

Por incrível que pareça, o gosto da larva não é ruim. Quando você morde, ela explode na boca kkk e o gosto é de cocô ou doce de leite, Acrediteeemmm!!! hahaha 🙂 Pois bem, retornamos à Pousada e já estava próximo da hora do almoço. Eu estava com muita vontade de comer piranha e fui pescar o meu almoço.

Interessante mesmo, é que pescávamos piranhas na mesma parte do rio onde nadávamos kkkk. As piranhas só atacam se houver sangue na água! E sério, nunca uma pescaria foi tão fácil, eu peguei diversas piranhas, era jogar o anzol e puxar, muito fácil mesmo.

Após o almoço tomei um banho e começamos a aventura do retorno pra Manaus, mais uma lancha, uma Kombi e outro barco kkkk O retorno foi muito divertido, havia uma família de chineses, alguns franceses e o casal de Brasília Flávio e Lu, viemos dando boas risadas em cada derrapada que a Kombi dava nas estradas de barro.

Menos mal que todos chegamos com vida em Manaus, enfim havia sinal no telefone e pude avisar mamãe que estava bem kkkkk. E para o próximo dia?? Mais aventura que contarei no próximo post.

Sigam no Instagram @iaventureiros

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s